Outubro Rosa

O mês de Outubro foi escolhido para trazer em pauta esse assunto que se faz extremamente importante para nossa sociedade, o câncer de mama.

...

O câncer de mama representa 25% de todos os cânceres que afetam as mulheres, é o segundo tipo de câncer que mais atinge as mulheres no Brasil. Para esse ano foi estimado pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer) um total de 59.700 novos casos de câncer de mama e o percentual de risco é de 56 ocorrências a cada 100 mil mulheres.

E nesse ano de 2019, o INCA e o Ministério Público visam reforçar os pilares principais do controle da doença que são, prevenção primária, detecção precoce e mamografia, através da campanha que tem como lema: “Cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela”

O movimento teve início no ano de 1990 em um evento intitulado como “Corrida da Cura” que aconteceu em Nova Iorque, para arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.

O evento acontecia sem o apoio de instituições públicas ou privadas. Ao passar do tempo, sua visibilidade foi crescendo e com isso o mês de outubro foi instituído como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo. No Brasil a primeira ação aconteceu em 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo. Com a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista.

O câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário. Ele se desenvolve quando ocorre uma alteração de apenas alguns trechos das moléculas de DNA, causando uma multiplicação das células anormais que geram o cisto.

Os principais sinais e sintomas da doença são: caroço, nódulo, geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região axilar

Não há uma causa única para o câncer de mama. Diversos são as possíveis causas, como: Envelhecimento, fatores relacionados à vida reprodutiva da mulher, como idade da primeira menstruação, ter tido ou não filhos, ter ou não amamentado, idade em que entrou na menopausa, histórico familiar de câncer de mama, consumo de álcool, excesso de peso, atividade física insuficiente e exposição à radiação ionizante.

Além do acompanhamento médico a prática de atividade física e de alimentação saudável, aliado a manutenção do peso adequado, estão associadas a menor risco de desenvolver a doença, portanto a palavra de ordem é Prevenção!

Nós apoiamos e incentivamos essa causa!